Corte e Costura

Photo by Annie Spratt 

Agora eles tinham dois meninos e duas meninas. No começo, a avozinha cuidava dos menores para a mãe poder dar suas aulas. Era uma senhorinha enrugada, baixinha e magra, de fala mansa. Adorava atender às manias de seus netos, enchendo-os de manhas. Costumava levar o café da manhã na cama para cada um deles: uma caneca gigante contendo pão umedecido no café com leite adocicado, que precisava ser "tomado" às colheradas.

Mas, a avozinha logo partiu de mudança para o Rio de Janeiro, a pedido de seus filhos solteiros que trabalhavam por lá. Ela cuidaria da casa, das roupas e das refeições deles com zelo e dedicação que lhes eram costumeiros.

A mãe, então, encerrou sua "carreira" de professora e passou a dedicar-se em tempo integral à casa e à família. Além de cuidar de quatro crianças, encontrava tempo e forças para cultivar uma pequena horta nos fundos da casa. Mas, ela  queria ajudar no sustento diário de alguma forma.

Decidiu aprender corte e costura. Logo estava recebendo encomendas de vestidos, calças, saias, camisas e fazendo um bom dinheirinho dali. Passava muitas horas no seu trabalho, muitas vezes avançando madrugadas a fim de entregar as roupas no tempo certo.

Suas crianças vestiam suas confecções caseiras, e as meninas acabavam usando sempre vestidinhos iguais, como se fossem gêmeas.

Comentários

Postagens mais visitadas