Avós


Era uma menina, saudável, gordinha e bem branquinha. Os cabelos escuros foram dando lugar para os loiros à medida que ela crescia, e os olhinhos tornando-se cada vez mais azuis.

"Acho que ela puxou mais do sangue alemão da família" A mãe fazia questão de explicar toda hora.

Para ela, cuidar de menina era novidade e gratificante. Laços, fitinhas, vestidos, meinhas, como é gostoso enfeitar um bebê!

Além da pequenina, a casinha também abrigava agora os avós maternos. O avô necessitava de cuidados especiais, após o derrame que sofrera. Ele não se movimentava bem e tinha certa deficiência cognitiva. Mesmo assim, quando a loirinha adormecia no berço, ele ficava ao lado dela horas a fio, como se observasse um anjo.

Não teve vida longa, deixando viúva a avozinha (ela não passava de um metro e meio) e dois filhos ainda solteiros, que logo partiram para o Rio de Janeiro, em busca de sorte melhor.

Comentários

Postagens mais visitadas