Férias

Tanto progresso significou muito trabalho, também. E o pai não tirava férias há alguns anos. À beira de uma estafa, ele e Dim foram liberados para um merecido descanso de um mês. Como queriam ter a família toda desfrutando disso, os dois tiraram esse tempo em Janeiro, durante o recesso escolar.

Os mineiros geralmente fazem suas ou as praias do Rio de Janeiro ou as do Espírito Santo. Então, o pai alugou uma boa casa de veraneio em Meaípe e levou consigo, além da esposa e dos filhos, a irmã mais velha e solteira, que ajudaria a cuidar dos menores.



Foram belos dias de muito sol e alegria. As manhãs eram sempre aproveitadas na praia que não ficava lá muito próxima da casa e, por isso,  demandava uma logística trabalhosa ajuntando as pessoas e as suas quinquilharias dentro da Caravan verde abacate, que acabava cheia de areia.

As meninas ainda gostavam de brincar com os bebês, e se divertiam com os caldos que tomavam, vez ou outra. Dim, muito caseiro, era companheiro do pai na "bisca" e se encarregava de limpar a Caravan, toda tarde.

Já seguiam essa rotina por duas semanas, até que, numa determinada madrugada, Dim acordou com um barulho que vinha da porta da cozinha. Alguém tentava invadir a casa.

O rapaz tentou despertar seu pai sem estardalhaço, mas a tia, que dormia no sofá-cama da sala, já estava de pé em desespero. As meninas se abraçaram e se esconderam debaixo dos lençois. A mãe procurava acalmá-las e vigiava atentamente para que os bebês não acordassem assustados. O pai, resoluto, ameaçou sair pela porta da frente e surpreender o meliante. Foi detido por Dim, que se armara com um facão em cada uma das mãos.

A arruaça foi tamanha, que quando finalmente o pai conseguiu sair de casa, o invasor já tinha dado no pé. Deve ter achado que teria que enfrentar um verdadeiro batalhão ali...

Comentários

Postagens mais visitadas